terça-feira, 6 de abril de 2010

Quando a
intransigência vaidosa

impede o acesso à educação


Não foram uma, nem duas ou três vezes que a Categoria tentou evitar a greve e negociar com a administração-empresa do prefeito-gestor.

Foram, sim, várias e muitas desde o ano passado.


Por diversas vezes, os trabalhadores em educação quiseram (e ainda querem) negociar e marcaram reuniões.

Em umas, a prefeitura desmarcava no dia imediatamente anterior, ou, pior, horas antes. Em outras... recebiam as reivindicações da classe e diziam "estar estudando".

Provavelmente já se
posgraduaram em
estudo de pauta...


A greve, os 80% dos trabalhadores parados, 150 mil alunos sem aulas, transtornos nas rotinas familiares e todos os demais problemas decorridos são responsabilidade EXCLUSIVA do poder público, ou, por outra, do administrador sazonal do poder público.

Por isso:



A GREVE CONTINUA,
LACERDA: A CULPA É SUA



4 comentários:

Cibele disse...

Olá! Sou auxiliar de biblioteca e estou de greve desde o dia em que os professores da escola em que trabalho resolveram paralisar,no entanto, a secretária da escola me disse que devo voltar imediatamente ao trabalho pois a greve é somente dos professores e que corro sérios riscos pois estou em estágio probatório! Não sei quem poderia me esclarecer...Vocês tem o telefone do sindicato ou saberiam responder? Obrigada

Coletivo Lima Barreto disse...

Olá Cibele. sua questão é bem parecida com a anterior, com o agravante do desconhecimento de sua diretora, que parece um tanto quanto desinformada.

Bem, a resposta é a mesma: você é benvinda e necessária, mas a decisão é sua, claro.

A diferença desta para a resposta anterior é que há uma pergunta a ser feita: em que ano anda o calendário de sua diretora ? Parece que ela - queremos crer que a desinformação e falta de interesse seja o motivo - perdeu, digamos, um pouquinho a noção do que seja "Trabalhadores em Educação".

Somos todos nós. Educador@s infantis, auxiliares de biblioteca, secretaria, de escola, professor@s e aposentad@s de todos esses segmentos.

Todos nós estamos em greve. Na direção do SindRede/BH há um auxiliar de biblioteca. Também nas discussões do grupo, outros e outras debatem lá, lá no NOSSO sindicato.

Peça a ela, em caso de dúvida, que telefone para o Alexandre Campinas no SindRede/BH ou no telefone que for informado, caso ele encontre-se em outra atividade.

Tenho certeza de que ele terá a maior tranquilidade para explicar a ela e atualiza-la sobre o conceito de "Trabalhadores em Educação".

Cibele disse...

Nossa muito obrigada! E desculpe se fui repetitiva nos questionamentos, acontece que hoje encontrei uma pessoa da escola que me disse que com todas as letras que a greve era somente dos professores e que também deixou meio subentendindo que eu poderia sofrer retaliações além de algum prejuízo mais sério!Mais uma vez obigada pelos esclarecimentos, fiquei um pouco apreensiva pois sou a única aux. de biblioteca da minha escola que parou de trabalhar!

Coletivo Lima Barreto disse...

Você não foi repetitiva: a situação de assédio moral à qual estamos expostos é que é repetitiva. "Eles" não se cansam...