sexta-feira, 20 de novembro de 2009

COLEGAS

Vale a pena registrar aqui um
comentário feito por "colega anônima"
em relação ao post abaixo.


Tirem suas conclusões.


"Há uma espécie de "tática orgânica tácita" da PBH em empurrar com uma enorme e satisfeita barriga, todas as questões que tangem o interesse d@s trabalhador@s (servidor@s e funcionári@s).

O grau de compromisso (pelo menos uma resposta mais completa, do tipo:
olha... já encaminhamos à Macaé e não houve resposta por parte dela, nem de ninguém, entretanto estamos envolvidos no problema, etc,etc,etc ) daquel@s que puseram-se no que (el@s julgam ser) um escalão com preponderância sobre demais trabalhador@s, é nulo. Afinal, el@s tem que preocupar-se com a manutenção de tão "glorioso" status e não deixar que nada, sequer um questionamento qualquer, ponha em risco tal situação.

Não podem “ABORRECER O PATRÃO”
com questões de somenos imporância, sob risco de perder a “representatividade adulárica”.

A opção de boicotar os "cursos" oferecidos (??) é muito interessante, porém há que se ter cuidado: leiam no estatuto do servidor sobre as obrigações: se for para fazer isto, deve ser feito por tod@s, para que funcione como real meio de pressão. caso contrário, poderá render muitos "processos" na corregedoria.

Com relação ao calendário, estamos sofrendo muito com a "onda áulica" que tomou parte nas escolas. Há absurdos acontecendo e algumas direções parecem esquecer-se de que foram eleitas pela comunidade escolar e que devem representá-la.
Ao contrário disso, põe-se no posto de "pit-bull" do Lacerda, da Macaé e das regionais e de seus gerentes partidarizados, que pouco, ou nada, tem a ver com os interesses dos eleitores: cuidam apenas dos seus próprios interesses, tornando-se experts em retória embromativa para fazer o gado adormecer.

O que antes era acordo, agora temos que pagar. É verdade. Preconceito contra um segmento que também faz parte d@s trabalhador@s em educação. Tal preconceito deve ser combatido à partir da própria cultura escolar - leia-se professor@s, em função, ou não, de coordenação, direção, cargos regionais diretivos, gerenciais e ou smedianos - caso contrário será difícil obter qualquer avanço.

Se há recesso, este deve ser para tod@s. SEM PRECONCEITO. Se professor@s não pagam "semana de outubro", "recessos de festas", etc, tampouco nós devemos aceitar.


A Smed (por conseguinte, a PBH) – achando-se inantigível – tem uma posição soberba e anti-democrática. Muita luta vai rolar, mas, atenção: uma hora vão tr que engolir, amargamente, o que não desejaram negociar e desprezaram. É da vida. Soe acontecer.


A luta pelo calendário, assim como equalização proporcional de salários, carga horária, etc está na pauta de negociações, entretanto, conforme dito lá no começo do comentário, a prefeitura prepara-se, olimpicamente, para o "arremesso de problemas com a barriga", para a "varrição sub-alcatifular" e, finalmente, mas não menos representativo esporte, a "divulgação onírica-eleitoreira daquilo que nunca foi".

São verdadeiramente dign@s representantes do grupo religioso "atletas de satanás".


Para se ter uma ideia, as regionais estão transferindo professor@s (escolhidos à dedo - ou seria à dedadas ? -) com a incumbência e determinação de ser coordenadores(as) de turnos e dominar truculenta e/ou politicamente as escolas – com a concordância de direções submissas e desejosas de seu quinhão nas benesses lacerdianas –, difundindo o neo-petismo-tucanismo-pessebismo-sofismático -surreal-publicitário para destruir a organização coletiva através da força e/ou cooptação. Professor@s excedentes (e anteriormente combativ@s e revoltad@s com a situação), por exemplo, são reincorporados a troco sabe-se lá de quê. Outro exemplo: alunos problemáticos são transferidos para o turno da noite, fazendo uma verdadeira faxina e maquiagem nos turnos da manhã e tarde.

Quem trabalha, notadamente, em escolas próximas às obras do PAC do D (Programa de Aceleração da Candidatura da Dilminha) sabe do que estou falando.


Sobretudo, a PBH quer "fazer a diferença" nessas miseráveis regiões de IDH tendente ao "inferno estatístico" e IDEB concernentemente igual. Mantendo uma crudelíssima e perversa relação de compra de votos. Neo-coronelismo cara-de-pau, não disfarçado.

REUNIÃO URGENTE ! VAMOS TENTAR MOBILIZAR @S AUXILIARES PARA UMA PRESENÇA RESPEITÁVEL !


Acho que nem uma greve específica do segmento está fora de cogitação.

Estou cansada,
MAS NÃO DESISTO !!!!!!!"


quinta-feira, 12 de novembro de 2009

A certeza na frente
A história na mão

Car@s colegas:

Respeitado e prolongado o prazo que nos foi pedido e passados 24 dias de uma reunião de duas horas da comissão de auxiliares com o Programa de bibliotecas/SMED, finalmente recebemos um sinal de vida (ou de morte) por e-mail que transcrevo abaixo Ipsis litteris:

Data: 12 de novembro de 2009 08:33
“Leandro, bom dia.
Ainda não tenho retorno.
Obrigada.
Leila”

O tamanho e o conteúdo (ou melhor, a inexistência dele) da resposta nos diz muito. Há ainda alguma dúvida sobre a falta de respeito com que a SMED trata nosso segmento e o conjunto das nossas reivindicações?

Tudo isso foi pra não dizerem que não falamos de flores e que não tentamos de todas as maneiras possíveis.

Nos resta o único caminho historicamente capaz de forjar mudanças reais e trazer melhorias para os trabalhadores:

Abrirmos novas trincheiras e permanecermos em luta.

Em breve, divulgaremos data para reunião de avaliação desse ano e planejamento das nossas ações para o ano que vem.


Façamos a hora, não esperemos acontecer.

domingo, 8 de novembro de 2009

ELEIÇÕES
SINDREDE/BH


Resultado

Ainda é extra-oficial, mas deverá ser confirmado pela Comissão Eleitoral nesta segunda-feira, tão logo integrantes das três chapas assinem a ata.

VOTOS VÁLIDOS

Mudança na Rede, chapa 1 - 22,79%

Representantes Para
Fortalecer a Categoria, chapa 2 - 51,75%


Travessia, chapa 3 - 25,45%


Parabéns à categoria de trabalhador@s em educação na RMEBH pela bela festa democrática.


Ao trabalho !

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

Eleições encerram-se hoje



Não votou ?!


Você tem três opções de chapas:

1 - Mudança na Rede

2 - Representantes Para
Fortalecer a Categoria


3 - Travessia.

E de eleger, também, @s membros
do Conselho Ético e Fiscal
do SindRede/BH.

Há Auxiliares de Biblioteca nas chapas.

Escolha, livremente, a sua !


A apuração começa após
o terceiro turno escolar
desta sexta-feira.

CLB:

Pela democracia !

Pela diversidade do pensamento !


Contra quaisquer tipos
de condução externa

do processo democrático:

Auxiliares de Biblioteca
são livres e votam em
quem acham correto !


O SindRede/BH somos nós.



Tod@s nós !

terça-feira, 3 de novembro de 2009

CALENDÁRIO DE ATIVIDADES
SINDREDE/BH


NOVEMBRO / 2009

3 a 6 - Eleições Gerais para Diretoria Colegiada e Conselho Fiscal e de Ética (Há Auxiliares de Biblioteca nas chapas: escolha a sua);

10 - Concentração às 18h na porta da PBH para a vigília "Contra a treva do Lacerda na Educação de BH";

Entre 9 e 13 - Reunião de professor@s de disciplinas específicas;

Entre 16 e 20 - Reunião de Representantes de Escolas para cobrar o projeto de transição da pós-graduação e da dobra da educação infantil;

Até o fim do ano - Seminário para planejarmos as ações da categoria para 2010.

Programação da Biblioteca
Pública Infantil e Juvenil de BH

Novembro de 2009

Exposição - Hall de entrada

Meu Morro, Meu Olhar

Um pequeno grupo de pessoas apaixonadas por histórias de superação. Uma escola aberta a novas possibilidades de ensino. Uma turma de crianças curiosas e um punhado de câmeras “antigas”, sem uso, em um armário. Esses foram os elementos iniciais do projeto “Meu Morro, Meu Olhar”, que ensinou 17 crianças do Aglomerado Santa Lúcia a enxergarem com outros olhos sua própria identidade.

Mostra de fotografias que retratam o dia-a-dia de um grupo de crianças, sob o olhar puro, sensível e sincero da infância. Realização do fotógrafo Jorge Quintão Jr. e da professora Aline Guerra e coordenação de Ana Paula Fernandes (Escola Integrada).

Curadoria: Ana Paula Fernandes (Coordenadora Escola Integrada)

Responsável: Isabel Correa de Sá (artista plástica)

Período:28/10 a 27/11, de segunda a sexta, das 9h às 17h30. Dias 21 e 22, sábado e domingo, das 9h30 às 12h15

Cursos e Oficinas

Kirigami de Natal

Arte de dobrar e cortar papéis dando formas e confeccionando cartões e objetos decorativos.

Responsável: Andréa Cristina de Souza (Pedagoga e Origamista)

Material: tesoura, régua, cola, lápis, caneta, borracha, lápis de cor, papéis coloridos (sulfite) e cartolinas coloridas.

Dia: 21, sábado, das 09h30 às 12h15

Público: a partir de 13 anos/ 15 vagas

Inscrições na biblioteca ou por telefone.

Caixas de Natal

Oficina de caixas utilizando a técnica da decoupage, para presentear no Natal.

Responsável: Raquel Carvalho (artesã e estagiária de Biblioteconomia)

Dia: 25, quarta, das 14h às 17h.

Público: jovens, acima de 13 anos e adultos

Material: guardanapo para decoupage ou adesivos (comprado em lojas de Artesanato), 1 vidro de 80ml de tinta de artesanato, da cor que deseja pintar a caixa, pincel largo e macio, tesoura, 1 vidro pequeno de verniz acrílico ou geral.

Estudo das Obras do Vestibular UFMG 2010

Análise e comentários das obras indicadas para o vestibular da UFMG por Adriano Bitarães Netto, mestre em Literatura pela UFMG e professor de Literatura em cursinhos pré-vestibulares da capital com inúmeros textos publicados sobre os livros indicados para a UFMG.

Responsável: Adriano Bitarães Netto

Dia: 04/11 – Crônica da casa assassinada, Lúcio Cardoso

11/11 – Bom Críoulo, Adolfo Caminha; e Antes do Baile Verde, Lygia Fagundes Telles

Horário: das 14h às 17h30

Público: vestibulandos / 80 vagas

Inscrições: na biblioteca ou pelo telefone 3277-8658.

BEAGALÊ – CURSOS E OFICINAS

SOS Livros

Oficina de recuperação e conservação de livros. Técnicas alternativas (pequenos reparos e costura simples)

Responsável: Maria Lúcia Souza Duarte (conservadora de Documentos)

Dias: 09,16,17,23 e 24, de 14h às 16h

Público: jovens e adultos/ 10 vagas

Taxa simbólica:

Inscrições na biblioteca ou pelo telefone 3277-8658

Teatralização: Construção do ator

Visa exercitar a capacidade de atenção, criação, percepção do espaço cênico e consciência gestual dos participantes.

Responsáveis: Matheus Silva (performer) e coordenação de Beth Haas (teatróloga)

Público: jovens, a partir de 15 anos e adultos / 20 vagas

Período: de setembro a novembro, às terças-feiras, das 15h às 17h

Inscrições: Encerradas

Oferece Certificação

Apresentação

FRAGMENTOS DE VIDA- O INSTANTE MOVEDIÇO

Esquete realizada pelo Grupo Tibambu na oficina “Teatralização: a construção do ator”

Direção: Matheus Silva

Trilha Sonora: Clarissa Alcantara

Tempo: 35min

Público alvo: maiores de 15 anos

Dia: 10, terça, às 15h

Sinopse: A partir dos testemunhos pessoais, o que pode o corpo? A história de cada um contada através do corpo ou cantada entre lembranças e esquecimentos. Em cena, os desejos singulares ganham a intencidade do coletivo. Apresentação de encerramento da oficina de Teatralização: construção do ator.

Iniciação musical

O curso oferecerá vivências, onde serão trabalhados audição, expressão rítmica e melódica, sensorialidade, emotividade, inteligência ordenadora, criatividade e confecção de instrumentos artesanais.

Responsáveis: Daniel Nunes (estudante de música da UEMG) e coordenação de Beth Haas (teatróloga)

Público: jovens, a partir de 15 anos e adultos / 20 vagas

Período: de setembro a novembro, às quintas-feiras, das 15h às 17h

Inscrições: Encerradas

Oferece Certificação

Literatura

Trupe Caixa Mágica dos Contadores de Histórias

Um passeio de muita cantoria e histórias da tradição oral com os contadores do Projeto Circuito da Leitura aprovado na Lei Municipal de Incentivo a Cultura.

Voluntários das Bibliotecas Comunitárias, formados no Curso Ofício de Ler e Narrar Histórias ministrado, em 2009, pela Contadora de Histórias Sandra Bittencourt.

Público: crianças a partir de 6 anos, jovens e adultos

Dias: 03/11, terça, às 14h - 20min (duração)

10/11, terça, às 14h - 20min (duração)

17/11, terça às 14h -20min (duração)

18/11, quarta, apresentação especial -1h (duração)

24/11, terça, às 14h - 20min (duração)

Roda de Leitura

Leitura de histórias de bichos, humor, aventura e de fadas para crianças.

Dia: 18, quarta, às 9h30

Público: crianças a partir de 6 anos/ 50 vagas

Reunião de Contadores

Encontro semanal de contadores e leitores de histórias, aberto a novos participantes interessados na arte de ler e contar histórias.

Visa à formação de contadores.

Responsável: Reni Tiago (Bibliotecária e Especialista em Literatura Infantil e Juvenil)

Dias: 06, 13, 20, e 27, sextas, às 10h

Era Uma Vez... no domingo especial

Lançamento do livro “1, 2, 3 contos de uma vez” com contação de estórias por Rúbia Mesquita, autora e apresentadora do programa infantil TVX, de BH. Ilustrações de Rubem Filho, publicação da editora Uni Duni.

Dia: 22, domingo, às 10h

Público: crianças, jovens e adultos.

(A Uni Duni Editora oferecerá guloseimas e muita diversão!)

Extensão Cultural

Era uma vez...no hospital

Leitura e narração de histórias e atividades de arte-educação com crianças internadas no setor de Pediatria, do Hospital Odilon Behrens e da Santa Casa.
Responsáveis: Equipe da BPIJBH e convidados

Dias: 13, sexta, às 15h no Hospital Odilon Behrens e dia 20, sexta, às 15h na Santa Casa

Visitas Orientadas:As escolas deverão agendar no 1º dia útil as visitas para o mês seguinte, pelo telefone 3277-8651.

Endereço: Rua Carangola, 288, térreo - B. Santo Antônio
Telefones: (31) 3277-8658 / 3277-8651
Horário: de 2ª a 6ª feira, das 9h às 17h30
Dias 21/11 (Sábado) e 22/11 (domingo), das 9h30 às 12h15
Sala de Exposição, Sala de leitura, Sala Vovô Felício (pesquisa), Gibiteca e Brinquedoteca

quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Cavando nosso espaço



O CLB, por conseguinte @s auxiliares de biblioteca, tem a clareza de que o Programa de Bibliotecas não responde e nem poderia responder por todo o conjunto de pautas que apresentamos, MAS também está convencido de que ele não pode se furtar de conhecer, porque ele nem sequer desconfia do que acontece nas bibliotecas da rede, compreender e trabalhar incessantemente para que as bibliotecas e seus trabalhadores tenham seu papel devidamente reconhecido no espaço escolar.

Na reunião fomos informados que de que a Coordenação do Programa de Bibliotecas está desfalcada. Não há um bibliotecário/a trabalhando na mesma. Por que será que nenhum bibliotecário/a assumiu definitivamente esse posto e ele precisou ser delegado a uma professora? Quem souber ganha um doce!




Os encaminhamentos:


*Para as questões relacionadas a aumento salarial, jornada de trabalho, plano de carreira, progressão, insalubridade, calendário, excesso de trabalho X quantidade de trabalhadores, etc.


Solicitamos uma reunião da Comissão de Auxiliares com a Secretária de Educação MACAÉ. O pedido foi encaminhado e estabelecido o prazo de até 9 de novembro para obtermos a resposta.


Para as questões relacionadas a formação continuada, concepção pedagógica do espaço da biblioteca e atributos dos auxiliares, o Programa ficou de sistematizar uma proposta a longo prazo. Sabemos que os eventos esporádicos que são divulgados, nem sempre estão conectados com nossa realidade e nossa necessidade na biblioteca e portanto não podem ser considerados como uma formação de qualidade.

*Essa é uma divisão didática, pois na prática sabemos que todas essas questões estão imbricadas e não podem ser discutidas e solucionadas em separado.

segunda-feira, 19 de outubro de 2009

Cartas na mesa

Comissão de auxiliares de biblioteca irá debater nossas condições de trabalho com a Coordenação do Programa de Bibliotecas na SMED




Colegas,

Hoje (20/10/09) uma comissão de auxiliares de biblioteca irá debater com a Coordenação do Programa de Bibliotecas as nossas condições de trabalho, assim como nossas reivindicações e propostas de melhoria para o conjunto dos auxiliares.

Esperamos que o Programa e a SMED tenham a sensibilidade necessária para nos escutar e assimilar nossas reivindicações e propostas!

Segue abaixo a pauta da reunião:



Conjuntura das bibliotecas escolares e de seus trabalhadores na Rede Municipal de Ensino de Belo Horizonte e reivindicações dos auxiliares de biblioteca

Considerando que:

A biblioteca escolar funciona como um espaço cultural e de letramento, facilitador do processo de alfabetização e exerce um papel preponderante no sistema educacional do município;

Nós, auxiliares de biblioteca, temos desenvolvido projetos de incentivo a leitura, assim como práticas pedagógicas que dinamizam o aprendizado dos alunos por nós atendidos diariamente nas escolas;

Sistematicamente tem sido atribuído às bibliotecas um papel secundário no ambiente escolar, discriminando esse espaço assim como os/as profissionais que nele trabalham.

Há um grande déficit de bibliotecários/as na RME-BH (em média, um para cada cinco escolas), assim como há um déficit de auxiliares (apenas um por turno, isso quando não há ninguém lotado para um turno específico);

Não nos é fornecido um processo de formação continuada sobre as tarefas de competência técnica e pedagógica que são demandadas no trabalho e que acabamos tendo que aprender pela necessidade e de forma empírica;

Há um grande volume de trabalho a ser cumprido nas bibliotecas escolares e que temos acumulado e exercido uma multiplicidade de papéis e tarefas que nem sempre condizem com nossa função;

Ocorre uma alta rotatividade no cargo pela falta de estímulos para permanecer no mesmo e que esta rotatividade prejudica a continuidade dos projetos e programas de incentivo e aperfeiçoamento da leitura implementados nas escolas;

O salário do auxiliar de biblioteca vem sofrendo perdas significativas, obtendo o menor reajuste salarial dentre todos os profissionais da educação, e o atual vencimento não condiz com o papel que o auxiliar exerce no processo educativo dos alunos da RME;

Há a necessidade de diminuir o abismo da cultura escolar entre auxiliares e professores/as, de forma a gerar inclusão e participação ativa na agenda político-pedagógica das escolas;


Propomos e reivindicamos:

Piso salarial para os auxiliares de biblioteca, equiparados ao dos professores municipais de nível médio (antigos P1);

Redução da jornada de trabalho de 6h para 4h30 diárias, SEM REDUÇÃO SALARIAL;

Redução do interstício para progressão por mérito para o mínimo de 913 dias, previsto pelo Estatuto do Servidor, e não por 1.095 como vem sendo aplicado pela PBH;

Reconhecimento definitivo dos auxiliares de biblioteca como trabalhadores do quadro da educação e não da administração;

Mesmo calendário da escola, com recessos pertinentes e férias coletivas em janeiro;

Especificação da PBH no nosso plano de carreira, do significado da expressão “desincumbir-se de outras funções...”;

Inclusão dos/as auxiliares nas discussões e nos projetos pedagógicos da escola;

Aumentar para dois, os auxiliares por turno, independente da quantidade de aluno (as);

Garantir que cada biblioteca possua um bibliotecário/a próprio;

Garantir que todos os turnos da escola possuam auxiliares, mesmo que existam servidores em readaptação;

Transparência na divulgação para os/as auxiliares da verba de 10% do caixa escolar aplicáveis à biblioteca, a fim de que sejam discutidas e atendidas as demandas específicas de cada biblioteca escolar;

Extensão do “vale-cultura” para todos/as trabalhadores/as em educação;

Percentual de insalubridade, dada as inúmeras doenças respiratórias a que estamos sujeitos por manusear materiais velhos e empoeirados.

Unidos, podemos e iremos romper as barreiras
que nos impedem de ter uma profissão mais digna!

domingo, 4 de outubro de 2009

ATENÇÃO COLEGAS

Hora de Colaborar !

Uma companheira da Educação Infantil está organizando pequena biblioteca no bairro onde mora e necessita de ajuda. Ela quer estimular a leitura e o prazer de ler entre as crianças.


Se você mora perto do bairro Palmares e tem um tempinho disponível, dê uma força para a Mônica. Ela necessita de dicas, orientação, informação sobre sites e... doação de livros.

Basta mandar um e-mail para o CLB: coletivolimabarreto@yahoo.com.br que a gente encaminha para a Mônica. Ou então responder nos comentários deste post.


Olha a Mônica lendo aí !
(Maurício de Souza Produções)

quinta-feira, 1 de outubro de 2009

Debate

A crise e suas consequências
sobre os trabalhadores

Foto: arquivo Unicamp

Ricardo Antunes:
estudioso do Fordismo e Taylorismo




Com Ricardo Antunes, Unicamp/SP

Dia : 5 de outubro

Horario: 18:30

Local: Centro Cultural da UFMG (Rua Santos Dumont, 174, esq. de Praça da Estaçao)


Secretaria da

Assembléia Popular de Minas Gerais

terça-feira, 29 de setembro de 2009

Programação da Biblioteca Pública
Infantil e Juvenil de BH

Outubro de 2009

Exposição - Hall de entrada

URBHANANTERRE – Em comemoração ao Ano do Brasil na França

Mostra de telas produzidas por alunos da E. M. Marconi, integrantes do Projeto Conexão @ Brasil, de intercâmbio sócio-artístico-cultural entre o Brasil e a Association Club Des Acacias de Nanterre, na França.

A mostra expõe os pontos arquitetônicos de Belo Horizonte de influência francesa e a arquitetura da cidade de Nanterre.

Curadoria:

Margareth Reis, Coordenadora do Projeto

Responsável: Isabel Correa de Sá (artista plástica)

Período: De 7 a 25 de outubro, de segunda a sexta, das 9h às 17h30. Dias 24 e 25, sábado e domingo, das 9h30 às 12h15.


Cursos e Oficinas

Origami com chá – Especial Mês das Crianças

Confecção de brinquedos utilizando a técnica do origami.

Responsável: Norberto Akio Kawakami (Grupo Origami Beagá)

Material

: papel para dobrar (cor, tamanho e tipo de sua preferência)

Dia

: 24, sábado, das 10h às 12h

Público

: crianças a partir de 09 anos

SOS Livros

Oficina de técnicas alternativas de conservação de acervo bibliográfico. Costura simples, costura espinha de peixe, costura de cadernos e encadernação.

Responsável: Maria Aparecida Caldeira Xavier (Bibliotecária)
Dias: 13, 14, 15 e 16, terça, quarta, quinta e sexta, das 08h30 às 11h30
Público: jovens, acima de 15 anos e adultos/ 20 vagas

Material: Inscrições na biblioteca ou pelo telefone 3277-8658.


Estudo das Obras do Vestibular UFMG 2010

Análise e comentários das obras indicadas para o vestibular da UFMG por Adriano Bitarães Netto, mestre em Literatura pela UFMG e professor de Literatura em cursinhos pré-vestibulares da capital com inúmeros textos publicados sobre os livros indicados para a UFMG.

Responsável: Adriano Bitarães Netto

Dia:

21/10 – Sermão da Sexagésima, Padre Antônio Vieira

28/10 – Cobra Norato, Raul Bopp

04/11 – Crônica da casa assassinada, Lúcio Cardoso

11/11 – Bom Críoulo, Adolfo Caminha; e Antes do Baile Verde, Lygia Fagundes Telles
Horário: das 14h às 17h30

Público: vestibulandos / 80 vagas

Inscrições: de 01/10 a 20/10 na biblioteca ou pelo telefone 3277-8658.


BEAGALÊ – CURSOS E OFICINAS


Teatralização: Construção do ator

Visa exercitar a capacidade de atenção, criação, percepção do espaço cênico e consciência gestual dos participantes.

Responsáveis:

Mateus Silva (performer) e coordenação de Beth Haas (teatróloga)

Público: jovens, a partir de 15 anos e adultos / 20 vagas

Período: de setembro a novembro, às terças-feiras, das 15h às 17h

Início das aulas: 8 de setembro, terça, às 15h

Inscrições: Encerradas

Oferece Certificação

Iniciação musical

O curso oferecerá vivências, onde serão trabalhados audição, expressão rítmica e melódica, sensorialidade, emotividade, inteligência ordenadora, criatividade e confecção de instrumentos artesanais.

Responsáveis:

Daniel Nunes (estudante de música da UEMG) e coordenação de Beth Haas (teatróloga)

Público: jovens, a partir de 15 anos e adultos / 20 vagas

Período: de setembro a novembro, às quintas-feiras, das 15h às 17h

Início das aulas: 17 de setembro, quinta, às 15h

Inscrições: Encerradas

Oferece Certificação


Lançamento

O maluco do céu

Anna Gobel, escritora e ilustradora lança o seu livro infantil, O maluco do céu, pela Editora Autêntica.

A partir de uma adaptação de lenda caribenha, Anna conta a história de um rochedo do fundo do mar, muito curioso, que queria ver o céu para descobrir porque a água mudava tanto. De tanto perguntar aos bichos e plantas como era lá em cima, acabou ficando conhecido como o maluco do céu. Depois de muitos anos, o rochedo conhece um siri, que descobre uma maneira de realizar seu sonho.

Dias

: 23 e 24, sexta e sábado, às 10h, com a narração da história, pela autora, utilizando a técnica de animação.

Público: crianças, a partir de 6 anos, jovens e adultos / 70 vagas


Literatura

Reunião de Contadores

Encontro semanal de contadores e leitores de histórias, aberto a novos participantes interessados na arte de ler e contar histórias.

Visa à formação de contadores.

Responsável

: Reni Tiago (Bibliotecária e Especialista em Literatura Infantil e Juvenil)

Dias

: 02, 09, 16, 23 e 30, sextas, às 10h

Roda de histórias

Leitura de lendas brasileiras para crianças e jovens.

Responsáveis:

Leitores da Roda de Leitura da Biblioteca Regional São Cristovão

Dia: 21, quarta, às 09h30

Público:

crianças a partir de 6 anos / 50 vagas. (para escolas, é preciso agendar pelo telefone 3277-8658)

Era Uma Vez... no domingo

Narração de contos para crianças, com a participação dos contadores do Projeto Contando Histórias.

Responsável: equipe da BPIJBH

Dia: 25, domingo, às 10h30.

Público: crianças, jovens e adultos

Duração: 50 min. (aproximadamente)

Serão narrados:

  • A lenda do Uirapuru

(tradição oral)

com Juliana AnselmoP

  • Iara

(de Márcia Guimarães – ed. Vigília)

com Iêda Machado

  • Viva o Boi Bumbá

(de Rogério Barbosa – ed. Agir) com Terezinha Paes

  • O lobisomem

com Racilan


Extensão Cultural

Era uma vez...no hospital especial Mês das Crianças com a Trupe Gaia/Cena e Ação

Contação de Histórias e brincadeiras com as crianças internadas no setor de Pediatria, do Hospital Odilon Behrens e da Santa Casa.

Responsáveis: Equipe da BPIJBH e convidados

Dias: 09, sexta, às 15h no Hospital Odilon Behrens

16, sexta, às 15h na Santa Casa


Visitas Orientadas
As escolas deverão agendar no 1º dia útil as visitas para o mês seguinte, pelo telefone 3277-8651.

sexta-feira, 25 de setembro de 2009

DUVIDAS - DÚVIDAS - DÚVIDAS

Uma colega mandou sua dúvida
pelo e-mail do CLB:

coletivolimabarreto@yahoo.com.br

Mande também suas dúvidas:

pelo Orkut,
nos Comments do blog,
pelo following no Twitter
ou para o e-mail do Coletivo
(endereços acima, no blog, à esquerda):


De: Auxiliar X para o CLB:

Tentando conseguir assinaturas para a Proposta de Emenda à Lei Orgânica que favorece os Auxiliares de Biblioteca, Secretaria e Profs da Educação Infantil... Um funcionário da escola me disse que não assinava lista que necessitasse de título de eleitor por causa de uma fraude ocorrida com um eleitor...

Usaram o nº do título dele para outros fins... etc. Não confiam no Sindicato, principalmente no governo do PT, porque parece que essa fraude ocorreu no governo do PT...

Desculpem a minha ignorância quanto a essas possibilidades, mas gostaria de um esclarecimento a respeito desse assunto.

Como poderei continuar a pedir que assinem na nossa lista, se esse processo não for seguro? Algumas pessoas vêm questionando que não é realmente necessário o nº do título para esse fim, e só assinam a outra lista.


Resposta

Auxiliar X, agradecemos a sua participação e a confiança que você deposita no CLB, que somos tod@s nós.

Embora possa parecer uma ignorância (no sentido estrito de ignorar) há algum fundamento no temor de seu colega. Claro que não se pode fazer nada com um título de eleitor que possa prejudicar o próprio. Pelo menos diretamente, entretanto, imagina se alguém usa o número do seu título para assinar qualquer abaixo-assinado em seu nome ? Entendeu ?

Não sabemos dizer se houve algo relacionando títulos eleitorais e abaixo-assinados com o PT, mas podemos dizer a você (e, por favor retransmita a ele) estas observações:

1. Há dois documentos circulando entre auxiliares. Embora com teores levemente "aparentados", esses documentos tem objetivos bem diferentes:

a) O primeiro, um abaixo assinado simples, destina-se a colher assinaturas SEM necessidade de apresentar título de eleitor. O documento traz várias e antigas reivindicações do nosso segmento e será destinado a um vereador específico da CMBH. Para esse documento, necessitamos recolher o máximo possível de assinaturas de Auxiliares de Biblioteca da rede apenas. Somos pouco mais de 300 e precisamos chegar perto desse número. É um documento que tem a finalidade de SENSIBILIZAR o vereador e seus pares para que prestem atenção e nos ajudem quanto às nossas mazelas;

b) Com relação ao segundo documento, esclarecemos ser mais do que um abaixo-assinado, embora não deixe de ser um abaixo-assinado. Para nós, Auxiliares, ele é muito importante na medida em que propõe um piso salarial para todos(as) os(as) Trabalhadores(as) em Educação nível médio (Auxiliares de Escola, Biblioteca e Secretaria). Trata-se de um PROJETO DE INICIATIVA POPULAR. Tal tipo de documento tem o poder constitucional de - desde que recolhidas as assinaturas de, pelo menos, 5% dos eleitores radicados em um município (aproximadamente 90.000 em BH) - alterar a Lei Orgânica municipal, sem necessidade de votações no legislativo e/ou aprovação do executivo. Por causa dessa importância e tremenda responsabilidade, é fundamental o número do título, que comprova ser o assinante um eleitor deste município. O documento sairá diretamente do SindRede/BH para a CMBH, sem risco de "contaminação" pelo caminho.

2. Não há porque não confiar no nosso sindicato. Tudo é feito de forma clara, decidido em assembleias e sob a aprovação de maioria de presentes. O SindRede/BH, como muitos sindicatos, tem um tipo de direção coletiva chamada de colegiada. A Direção Colegiada garante que todas as correntes que participam de uma eleição tenham direito a lugares na direção proporcionalmente aos votos conquistados. Se tal chapa teve 40% dos votos, ela terá 40% dos cargos diretivos. À grosso modo, é assim que "funciona". Assim, temos correntes diferentes na direção o que garante a democracia nas decisões internas - aquelas relacionadas exclusivamente à administração. Conforme já falei, as decisões que envolvem a categoria são tomadas em assembleia: mais democrático, impossível. Basta comparecer a uma delas e você poderá pereber como os grupos agem, defendendo suas posições, conversando com indecisos, etc. Essa é a política séria, feita na base do convencimento por meio de apresentação de argumentos. Nenhum dos grupos é ligado diretamente a partidos, embora tenham em sua formação, membros deste ou daquele. Faz parte do cotidiano democrático.

Esperamos ter satisfeito e esclarecido suas dúvidas.

À propósito: vocês podem inteirar-se do conteúdo do Projeto de Iniciativa Popular clicando AQUI.

Também podem conhecer um pouco da história do SindRedeBH AQUI.

Um grande abraço do

CLB:
porque a luta
somos nós !

Caso algum(a) colega queira complementar/corrigir as informações aqui prestadas, basta utilizar os "comments" de forma identificável.

terça-feira, 22 de setembro de 2009

OFICINA DE
RECUPERAÇÃO DE LIVROS


São apenas 10 vagas !

Quem tiver interesse,
tem que chegar na frente !


S.O.S. Livros

Oficina de recuperação e conservação de livros com técnicas alternativas (pequenos reparos e costura simples).

Dias: 19, 21, 23, 26,28 e 30 das 14h às 17h.

Público: jovens e adultos

Taxa: 2 borrachas TK

Inscrições: 1 a 16 de outubro (trazer material individual)

Responsável: Maria Lúcia Souza Duarte (conservadora de documentos).

As inscrições começam no dia 1º de outubro.

Contato: 3277-6052, de 10 às 12h e de 13h às 17h.


AUXILIARES DE BIBLIOTECA
Resumo da reunião realizada no SindRede/BH


Foi a maior reunião do

Coletivo Lima Barreto
de Auxiliares de Biblioteca

realizada até hoje. Vári@s Auxiliares de Biblioteca estiveram presentes dia 17, no SindRede/BH, numa belíssima demonstração de união e mobilização.

Tod@s analisaram as propostas e buscaram saídas coletivas para nossa precária situação na RMEBH.


Agora é luta: a presença física de todos será fundamental para alcançarmos algum êxito no que tange nossa pauta reivindicatória.


  • Informes da Assembleia do dia 16
Os informes sobre a Assembleia da Categoria estão no boletim que foi por malote para as escolas. Se você não recebeu, cobre do representante da escola do seu turno;

  • Representatividade do grupo
Por unanimidade, os presentes aprovaram o Coletivo Lima Barreto como espaço legítimo de representatividade dos auxiliares de biblioteca;

  • Lei de iniciativa popular
Devemos colher 95 mil assinaturas para o projeto de mudança da lei orgânica até o final de outubro;

  • Abaixo-assinado dos auxiliares
O abaixo-assinado d@s Auxiliares de Biblioteca deve ser entregue ao Jorge para encaminhar à câmara até dia 30 de outubro;

  • Reunião com Leila - Coordenação de Bibliotecas
Apresentaremos à Leila a proposta de alteração da Lei Orgânica e o manifesto/abaixo-assinado;

  • Encaminhamentos
Comissão que irá reunir-se com a Leila: Leandro (Norte), Daniel (Nordeste), Rafael (Oeste), Jorge (Venda Nova), Sandra (Barreiro), Jaqueline (Leste), Antônio (Centro-sul) e Adriane (Pampulha).


Força sempre, pessoal:
vamos manter a chama acesa,
que a vitória será nossa !


BIBLIOTECAS
Artigo da Agência Senado, recebido através do LerBH

CAE aprova sugestão de fundo para financiar novas bibliotecas no país

A Comissão de Assuntos Econômicos (CAE) aprovou nesta terça-feira (15) projeto que autoriza o governo a criar o Fundo Nacional de Apoio a Bibliotecas (Funab), indicado pelo autor, senador Neuto de Conto (PMDB-SC), como um mecanismo de apoio à implementação da lei que estabeleceu a Política Nacional do Livro. De acordo com o projeto (PLS 310/07), esse fundo deverá financiar a construção, formação, manutenção e constituição de acervos de bibliotecas.

Por iniciativa do relator, senador Cícero Lucena (PSDB-PB), o projeto foi transformado em autorizativo. Conforme o relator, a medida foi necessária para contornar a inconstitucionalida de de iniciativa, já que é de competência exclusiva do presidente da República propor leis que tratam da criação ou extinção de órgãos da administração pública - como pode ser entendido um fundo.

Na prática, uma lei autorizativa pode ser entendida como uma sugestão ao Executivo, revestida do aval político do Congresso. Como o projeto de Neuto de Conto foi examinado na CAE em decisão terminativa, agora seguirá diretamente para exame na Câmara dos Deputados. O texto não chega a sugerir fontes específicas de recursos para abastecer o fundo.

Neuto de Conto aponta o baixo índice de leitura no país, bem como a necessidade de oferecer aos cidadãos maior acesso ao livro. Ele reconhece o processo de barateamento do livro e o crescimento da indústria editorial, ao lado do aumento da renda, como fatores importantes para elevação do nível de leitura. Porém, considera que a proliferação de bibliotecas ainda como a melhor alternativa para "aproximar o povo do livro".

terça-feira, 8 de setembro de 2009

ATENÇÃO

AUXILIARES DE BIBLIOTECA



REUNIÃO DO NOSSO SEGMENTO:


DIA 17 DE SETEMBRO

14.00h

NO SINDREDE/BH

AV. AMAZONAS 491 - 10º ANDAR
CENTRO

segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Vox populi, vox dei*
Conlutas/MG e SindRede/BH ganham voz n'O Grito dos Excluídos

A imprensa de BH registrou a presença da Conlutas/MG e do SindRede/BH na passeata popular que teve início nesta segunda, 7 de setembro, as 09.00h, na Praça da Assembleia e terminou na Praça Sete.

Diversas organizações populares, entre elas as Ocupações Camilo Torres e Dandara, estudantes, o Coletivo Lima Barreto e trabalhadores de diversos segmentos estiveram nas ruas para protestar sobre o cruel sistema que criminaliza a população civil e suas organizações e "alivia" para todo e qualquer tipo de poder. O aprofundamento do abismo causado pela concentração de renda nas mãos de uns e exploração de outros também foi destaque.

Abaixo, uma das matérias, com o companheiro Pedro Valadares do nosso sindicato e da Conlutas/MG, no SBT/Alterosa.

*Latim: a Voz do povo é a voz de Deus.


Eleições no SindRede/BH


No dia 02 de setembro a Assembleia de Filiadas(os) do Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal de Belo Horizonte tomou as seguintes deliberações:

  • Eleição da Comissão Eleitoral;
  • Período de inscrição das Chapas será do dia 30/09 até o dia 02/10, de 9 às 20h;
  • Sorteio do número para as chapas inscritas será no dia 02/10, às 20h;
  • Entrega do material de campanha será até o dia 05/10;
  • Período para votação: nos dias 03, 04, 05 e 06 de novembro, de 8 às 21h.


Obs.: Artigo 59, do Estatuto do Sind-Rede/BH:

" São condições para o filiado votar:

a) ser filiado efetivo do Sindicato no mínimo 15 (quinze) dias antes da data inicial prevista para o período das eleições;

b) não estar infringindo o Estatuto do Sind-Rede/BH - Sindicato dos Trabalhadores em Educação da Rede Pública Municipal de Belo Horizonte."

Antes do site da PBH,
antes do site PCI:

283 vagas


Concurso Público para provimento de cargo público efetivo de Professor Municipal, da Carreira dos Servidores da Educação, do Quadro Geral de Pessoal da Administração Direta do Poder Executivo do Município de Belo Horizonte.



Link AQUI

(via Coletivo Fortalecer - SindRede/BH - Wanderson Rocha)

A Conlutas/MG pede para informar



15º GRITO DOS EXCLUÍDOS

Dia 7 de setembro será realizado o 15º GRITO DOS EXCLUÍDOS, ato popular organizado pela Arquidiocese de Belo Horizonte e que tem a Coordenação Nacional de Lutas - CONLUTAS MG - como um dos organizadores.

Sob o lema

"Vida em primeiro lugar: a força
da transformação está está
na organização popular",


o evento deste ano terá concentração a partir da 09.00h na Praça da Assembleia (Lourdes) de onde seguirá em caminhada até a Praça Sete, no centro.


A temática segue o lema, questionando o modelo político-econômico e a concentração de riquezas e renda que condena milhões à exclusão e invisibilidade social. O 15 º GRITO DOS EXCLUÍDOS dá voz pública às vítimas da miséria e da fome, do desemprego e de um estabelecimento social cruel. Ao mesmo tempo, propõe caminhos alternativos, de forma a desenvolver a inclusão social, com a mobilização e participação ampla de toda a sociedade.